Skip to content

Empresa recém-criada no Piauí, aparece em lista das que mais faturaram com Covid-19 no Maranhão

A empresa A P S Macedo, mas conhecida como Ômega Hospitalar, foi criada em outubro do ano passado e ao que tudo indica, exclusivamente para atender as prefeituras do Maranhão.

Com pouco mais de 8 meses de existência, a empresa já aparece na das listas do Tribunal de Contas do Maranhão – TCE, como umas da empresa que mais faturaram com o Covid-19 no estado.

Segundo dados do portal do TCE em contratos Covid-19 do Maranhão, a empresa tem cerca de 20 contratos, divididos nas seguintes cidades: Caxias, Imperatriz, Nina Rodrigues, Satubinha, Parnarama, Apicum-Açu, Santana do Maranhão, Vargem Grande, São João do Paraíso, Buriti, Pedro do Rosário e Nova Iorque

O valor de faturamento destes contratos, já chegam à quantia de R$ 13.439.043,93.

Recentemente, a empresa foi alvo de recomendação conjunta do Ministério Público Federal e Estadual, onde órgãos pediram o cancelamento do contrato entre a empresa e prefeitura de Imperatriz.

De acordo com a recomendação, foram observados vícios e erros no procedimento de contratação, como a comparação apenas de preços dos medicamentos de marca, desconsiderando medicamentos similares com o mesmo princípio ativo. Pela Lei 8.666/1993, é proibida a preferência por marca, salvo em caso de motivo justificável.

Segundo informações, a empresa estaria se recusando a reincidir o contrato e a devolver o dinheiro repassado pela prefeitura de Imperatriz.

A empresa está registrada na cidade de Teresina, capital do Piauí. Tem como proprietária a empresária Ana Paula Silva Macedo, que segundo dados reside em Timon-MA.

Segundo apurou o site Folha do Maranhão, a empresa tem um sócio oculto, o empresário Igor Horace Sampaio Barbosa, ele que estaria intermediando contratos entre a empresa as prefeituras do Maranhão.

Igor Barbosa tem ligação com outra empresa, a Innova Distribuidora De Medicamentos Eireli, também operada por ele, inclusive citada em investigações judiciais.

Ainda de acordo com o levantamento feito pelo site Folha do Maranhão, as duas empresas aparecem registradas no mesmo endereço, Av. Miguel Rosa, n” 6667, no bairro da Macaúba em Teresina.

Como a maioria dos contratos do Covid-19 são feitos através de dispensa de licitação, os prefeitos do Maranhão possivelmente estariam sendo direcionados pelo empresário Igor Barbosa a contratar a empresa.

O site Folha do Maranhão fez ainda uma pesquisa junto ao Tribunal de Contas do Piauí, e constatou que a empresa tem apenas 6 contratos no estado, que se somados, não chegam ao valor de R$ 1 milhão.

Veja o relatório de contratos da empresa no Maranhão

MUNICÍPIOVALOR
ParnaramaR$ 173.900,00
Pedro do RosárioR$ 14.550,00
Pedro do RosárioR$ 14.550,00
SatubinhaR$ 50.075,84
SatubinhaR$ 135.015,00
SatubinhaR$ 49.820,00
ImperatrizR$ 4.343.750,00
Santa HelenaR$ 64.230,00
CaxiasR$ 2.750.400,00
CaxiasR$ 2.536.000,00
CaxiasR$ 2.536.000,00
Nova IorqueR$ 10.455,00
Nova IorqueR$ 10.455,00
São João do ParaísoR$ 43.675,00
Apicum-AçuR$ 147.000,00
Vargem GrandeR$ 45.780,00
Nina RodriguesR$ 361.535,00
BuritiR$ 40.500,00
Santana do MaranhãoR$ 85.870,65
SatubinhaR$ 44.856,22
Pedro do RosárioR$ 54.630,00
Pedro do RosárioR$ 1.014.719,65
A maioria dos contratos foram feito através de contratação direta

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *