Skip to content

MPF abre investigação contra a Seduc de Felipe Camarão

O Ministério Público Federal por meio da 6ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal, resolveu converter a Notícia de Fato em Inquérito Civil para apurar as situações precárias dos serviços e da infraestrutura disponibilizados nas escolas indígenas da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) no governo do Maranhão.

De acordo com o MPF, na representação inicial foram relatados problemas na Escola Indígena El Purume Katuhaw na Aldeia Jacaré, no município de Arame/MA, e na Escola Indígena Guajajara Mayrata, na Aldeia Macaco, TI Urucu Juruá, no município de Itaipava do Grajaú/MA.

Ainda segundo o MPF, a entrega inadequada da alimentação, quanto à infraestrutura precária e quanto à dificuldade de acesso à escola dos indígenas que não possuem registro de nascimento, é um dos principais problemas apontados na representação.

Foi apresentada ainda uma segunda denúncia, na qual é relatado que não estão ocorrendo aulas nem distribuição de alimentos e de material didático nas escolas indígenas do município de Arame (MA).

De acordo com procuradoria, a o secretário de educação apresentou resposta, só que de maneira insuficiente, sendo instada a complementar suas alegações e que até o momento não houve nova manifestação.

Diante dos fatos, o MPF resolver converter a notícia de fato em inquérito civil para apurar supostas situações precárias dos serviços e da infraestrutura disponibilizados nas escolas indígenas dos municípios de Arame e Itaipava do Grajaú no Estado do Maranhão pela Seduc/MA.

Leia outras notícias em FolhadoMaranhao.com. Siga a Folha do Maranhão no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva em nossos canais, do Telegram e do Youtube. Envie informações e denúncias através do nosso e-mail e WhatsApp (98) 98136-0599.

Comentários

Publicidade

Você poderá fazer comentários logado em seu facebook logo após a matéria.