Skip to content

Carlos Lula e Joel Nunes voltam a trocar acusações sobre aplicação da 2ª dose em municípios diferentes

O secretário de saúde do estado, Carlos Lula e o secretário de saúde do município de São Luís, Joel Nunes, voltaram a trocar acusações sobre aplicação da 2ª dose das vacinas contra a Covid-19 na região da Grande Ilha de São Luís.

Durante entrevista ao Bom dia Mirante, no quadro “Bastidores” do jornalista Clóvis Cabalau, Carlos Lula respondeu a polêmica que se criou após pessoas que tomaram a 1ª dose nos postos de vacinas do governo e depois procuraram os postos da prefeitura de São Luís para tomar a 2ª dose.

Segundo Carlos Lula, existe um posicionamento claro do Ministério da Saúde que diz que as pessoas podem tomar a 2ª dose onde elas desejarem, no local em que ela se encontra.

Carlos Lula diz não entender a postura da prefeitura de São Luís em proibir pessoas de tomaram a 2ª dose nos postos da capital. Segundo ele, foi feito uma solicitação, que não houve resposta, para que a prefeitura parasse com essa conduta, pois o governo nunca deixou faltar vacinas aos municípios.

Ainda de acordo com o secretário, pouco importa onde você tomou a 1ª dose, o correto é aplicar a 2ª dose, pois é assim que funciona.

Carlos Lula apresentou dados do Ministério da Saúde, que São Luís tem mais de 300 mil doses a serem aplicadas, que a capital foi a cidade que mais recebeu vacinas proporcionalmente no estado.

O secretário de saúde afirmou que todos os postos de vacinação pelo governo estão abertos, e que se chegarem pessoas de outros municípios que não tomaram a 1ª dose com eles, de qualquer forma vão se vacinar.

“A gente está fazendo um esforço enorme para as pessoas se vacinarem, se a gente começa criar empecilhos, a gente pode está perdendo essa pessoa, até evitar ela de tomar a 2ª dose, porque infelizmente não está tendo essa reposta por parte da prefeitura”, disse Carlos Lula.

Por outro lado, o secretário de saúde do município de São Luís, Joel Nunes afirmou que quase 3 mil pessoas que vacinaram nos postos de governo, procuraram a prefeitura de São Luís para tomar a 2ª dose. Segundo ele, foi feito um ofício a SES, onde não foi respondido, solicitando o quantitativo de pessoas que se vacinaram e quais foram as vacinas que foram aplicadas pelo governo.

De acordo com Joel Nunes, o “sucesso” da vacinação em São Luís, se deu devido a organização, por isso é preciso saber esse quantitativo de pessoas que foram vacinadas pelo estado e quais foram as doses aplicadas. A medida visa evitar que, alguém que tomou a vacinação em São Luís, fiquem sem sua aplicação da 2ª, pois o estoque é limitado.

Fazendo críticas ao governo, Joel Nunes afirmou que o importante é garantir acessos, e citou o exemplo de São Luís, que aumentou os seus postos de vacinação, saltando de 1 para 9, um aumento de mais de 800%.

“Quando se faz uma estrutura para dá acesso a 1ª dose, o óbvio e que essa mesma estrutura seja garantida para as pessoas tomarem a 2ª dose. Não vejo motivo para que isso não seja feito, isso sim, é negar o direito de vacinação para quem tomou a 1ª dose em um determinado lugar, e forçar essas pessoas a procurarem outros pontos para tomar as 2ª doses”, disse Joel Nunes.

Veja o trecho da entrevista de Carlos Lula

Veja o trecho da entrevista de Joel Nunes

Leia outras notícias em FolhadoMaranhao.com. Siga a Folha do Maranhão no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva em nossos canais, do Telegram e do Youtube. Envie informações e denúncias através do nosso e-mail e WhatsApp (98) 98136-0599.

Comentários

Doações

Você poderá fazer comentários logado em seu facebook logo após a matéria.