Skip to content

Prisão de Astro de Ogum reforça depoimento de delegados sobre os monitoramentos

A Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC), realizou na manhã de hoje o a prisão do e ex-presidente da Câmara Municipal de São Luís, o vereador Astro de Ogum. Na operação, foram presos também dois assessores de Astro, por suspeita de participação nos crimes de pedofilia e extorsão.

O vereador prestou depoimento à polícia, após pagar fiança foi liberado. Um novo depoimento está marcado para sexta-feira (13), para novos esclarecimentos.

A prisão de Astro de Ogum reforça ainda mais a tese levantada pelo delegado Ney Anderson e do ex-delegado Thiago Bardal.

Ambos participaram de uma audiência pública realizada em julho, na Comissão de Segurança da Câmara Federal, em depoimentos reafirmou o direcionamento de investigações e o monitoramento de políticos adversários.

O delegado Ney Anderson citou que na Operação Constelação, Portela determinou a inclusão do número do telefone do vereador Astro de Ogum, acusando o parlamentar de envolvimento no crime de pedofilia. Segundo o delegado Anderson na época ele não aceitou fazer.

O secretário Jefferson Portela ainda será ouvido pela Comissão de Segurança da Câmara Federal, mas a data ainda não foi confirmada.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *