Skip to content

Conass pede que Saúde declare emergência para varíola dos macacos; MA tem 1 caso confirmado e 9 suspeitos

O Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) pediu ao Ministério da Saúde nesta quinta-feira (11) que a varíola dos macacos seja declarada uma Emergência de Saúde Pública de Interesse Nacional (Spin).

No ofício, o Conass relata o rápido crescimento que o vírus vem se espalhando no Brasil, onde afirma que no dia 25 de julho tínhamos o registro de 813 casos confirmados e já no dia 08 de julho tínhamos o registro de 2.293 casos acumulados. Um aumento de 182% em 2 semanas.

Ainda de acordo com ofício do Conass, o Brasil deve levar em conta a declaração da OMS – Organização Mundial de Saúde realizada no último dia 24 de julho, onde confirma a Epidemia de Monkeypox como Emergência de Saúde Pública de Interesse Internacional.

O documento também afirma que, não existem vacinas e tratamento específico disponíveis em território nacional, e que o acesso no mercado mundial ainda é bastante restrito.

Ainda segundo o Connas, o Decreto Nº 7.616, de 17 de novembro de 2011, que dispõe sobre a declaração de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional – ESPIN e institui a Força Nacional do Sistema Único de Saúde – FN-SUS, diz eu artigo 2º que a declaração de ESPIN ocorrerá em situações que demandem o emprego urgente de medidas de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública e em seu artigo 3º, parágrafo 1º, dentre as situações epidemiológicas que indicam sua aplicação: o risco de disseminação nacional, ser produzido por agentes infecciosos inesperados e extrapolar a capacidade de resposta (de forma isolada) da direção estadual do SUS.

No Maranhão, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) confirmou o primeiro caso da varíola dos macacos nesta quarta-feira (10). Segundo a SES, trata-se de pessoa do sexo masculino, 42 anos, residente em São Luís, com comorbidades, sem histórico de viagem. O paciente deu entrada no hospital municipal Socorrão 1, no Centro de São Luís, e depois foi encaminhado para o Hospital Carlos Macieira, de responsabilidade do governo do estado.

O secretário de saúde, Tiago Fernandes confirmou hoje durante entrevista a rádio Mirante AM, que o Maranhão possui mais 9 casos suspeitos, onde sua maioria é na Região Metropolitana de São Luís, além de São José de Ribamar, Buriticupu e Balsas. Segundo Tiago, o material foi coletado e deverá demorar até 10 dias para que seja confirmado.

O governo confirmou uma coletiva com a imprensa para amanhã, sexta-feira (12) na sede da secretária de saúde onde irá anunciar medidas de controle e vigilância, mas o secretário Tiago Fernandes já descartou algum tipo de medidas restritivas à população.

Veja o ofício 

Connas

Leia outras notícias em FolhadoMaranhao.com. Siga a Folha do Maranhão no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva em nossos canais, do Telegram e do Youtube. Envie informações e denúncias através do nosso e-mail e WhatsApp (98) 98136-0599.

Comentários

Doações

Você poderá fazer comentários logado em seu facebook logo após a matéria.