Skip to content

Flávio Dino atribui crescimento da extrema pobreza no Maranhão aos problemas econômicos do país

Em entrevista à revista exame, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB) atribuiu o crescimento da extrema pobreza no Maranhão aos problemas econômicos do país.

Segundo Flávio Dino, é muito difícil para um estado sozinho reverter uma tendência nacional. “O que temos feito é investimento público para gerar trabalho, por isso temos um Caged positivo, e muita política social. Não é uma solução sistêmica porque não se faz política econômica a nível estadual”, disse.

Questionado sobre o que falta então para o Maranhão conseguir dar um salto de crescimento e sair das últimas posições do ranking nacional da extrema pobreza?

Flávio Dino afirmou que a melhoria do ambiente nacional vai levar a isso. Se pegar o crescimento do PIB entre 2010 e 2020, mostra uma tendência de crescimento forte da economia no Maranhão. Então creio que ultrapassada essa quadra de dificuldades do Brasil, o Maranhão tem tudo para avançar ainda mais. Nos últimos anos, a extrema pobreza cresceu no país inteiro, não só no Maranhão.

Próximo de encerrar o seu mandato, Flávio Dino fez um pequeno balanço do seu governo.

Segundo Flávio Dino, foi realizado um conjunto de ações que produziram indicadores bem interessantes. O principal deles é que em 2021 teremos o quinto ano consecutivo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados positivo, o que é uma exceção em termos nacionais.

Outro êxito indiscutível é a ampliação de políticas sociais. O Maranhão tem, por exemplo, a menor taxa por covid-19 do país, o que é fruto dos investimentos que fizemos nos últimos anos. Foram abertos 30 hospitais que garantiram uma rede grande que foi muito eficiente no combate à covid. Foram 2 bilhões de reais por ano que garantiram esse indicador. Na educação, implementados escola em tempo integral, o que não existia no Maranhão.

Veja a entrevista completa aqui

Leia outras notícias em FolhadoMaranhao.com. Siga a Folha do Maranhão no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva em nossos canais, do Telegram e do Youtube. Envie informações e denúncias através do nosso e-mail e WhatsApp (98) 98136-0599.

Comentários

Publicidade

Você poderá fazer comentários logado em seu facebook logo após a matéria.