Skip to content

A vergonhosa nota da FAMEM em defesa do prefeito que agrediu morador a pauladas no MA

A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), lançou uma nota de apoio e solidariedade ao prefeito do município de Cantanhede, José Martinho, depois de serem divulgados vídeos dele agredindo um morador a pauladas no município. Isso mesmo, a Famem se prestou ao papel de sair em defesa de uma agressão filmada e presenciada por várias pessoas em Cantanhede, interior do Maranhão.

A vergonhosa nota emitida pela federação, afirma que, o vídeo que circulou nas redes sociais e sites de notícias, foi editado para favorecer a tese de que o prefeito seria o agressor. Mas em nenhum momento a federação se tocou, que realmente houve uma agressão, por mais que o vídeo tenha sido editado.

Ainda de acordo com a nota, a Famem afirma que ficam claras as falas do cidadão: “Vou pegar meu revólver” e “dar logo um tiro nele”, insinuando que o morador que apanhou com pedaços de madeiras teria uma arma de fogo, e que isso teria motivado a agressão do prefeito. Diante dos fatos, o questionamento é o seguinte: quem “armado” poderia apanhar de outra pessoa com pedaços de madeira?

Por fim, a nota afirma que espera que a opinião pública entenda que, embora tenha se exaltado – e já pediu desculpas públicas pelo fato – o prefeito José Martinho o fez diante de uma gravíssima ameaça, e que segue acompanhando o caso, esperando o melhor desfecho para a população de Cantanhede, que espera ter o acesso a esta via pública.

Só que não conhece o prefeito José Martinho, e que poderia sair em defesa dele. Conhecido pela sua forma autoritária de tentar resolver as coisas e de tratar seus adversários políticos, esse foi só mais um fato em sua vida como gestor público. Porém, o mesmo prefeito em uma gestão anterior, já teria agido de forma semelhante contra moradores do município. O episódio também teria sido filmado pela população.

Veja a nota na íntegra

A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão – FAMEM – vem prestar apoio e solidariedade ao prefeito do município de Cantanhede, José Martinho, que tem sido exposto como se tivesse agredido um cidadão em um vídeo no qual aparece apenas um trecho do litígio ocorrido no último sábado (17), editado para favorecer a tese de que o prefeito seria o agressor.

Após analisar todos os registros do caso, a diretoria da FAMEM identificou que claramente o senhor que diz ser dono de um terreno onde a prefeitura abriu uma via para facilitar o acesso dos moradores do Bairro Cajuí ameaçou a equipe da gestão municipal, afirmando que iria pegar uma arma de fogo em seu veículo para utilizar contra os agentes públicos. Nos vídeos ficam claras as falas do cidadão: “Vou pegar meu revólver” e “dar logo um tiro nele”.

O motorista do prefeito, que já recebido uma agressão física, tentou impedir que o agressor chegasse até o veículo e cumprisse a ameaça.

Como todos os envolvidos estavam com os ânimos exacerbados, é importante frisar que o prefeito José Martinho não estava ali brigando por causa particular, mas para que uma área pública não fosse indevidamente privatizada. Ou seja, o prefeito estava discutindo para beneficiar a população de Cantanhede com a Rua aberta pela prefeitura e fechada pelo cidadão que alegou ser parte de seu terreno, impedindo que os munícipes pudessem trafegar pelo local.

Vários moradores antigos do bairro confirmam que o terreno estava abandonado há muitos anos e, de repente, este cidadão apareceu dizendo ser dono do local.

Esperamos que a opinião pública entenda que, embora tenha se exaltado – e já pediu desculpas públicas pelo fato – o prefeito José Martinho o fez diante de uma gravíssima ameaça.

Seguimos acompanhando o caso e esperando o melhor desfecho para a população de Cantanhede, que espera ter o acesso a esta via pública.

Veja o vídeo da agressão

Leia outras notícias em FolhadoMaranhao.com. Siga a Folha do Maranhão no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva em nossos canais, do Telegram e do Youtube. Envie informações e denúncias através do nosso e-mail e WhatsApp (98) 98136-0599.

Comentários

Publicidade

Você poderá fazer comentários logado em seu facebook logo após a matéria.