Skip to content

Movimento quer ir à Justiça contra estátua da Havan em São Luís

Artistas e integrantes da sociedade civil do Maranhão iniciaram um movimento para apresentar uma ação pedindo que a Justiça de São Luís proíba a Havan, empresa do bolsonarista Luciano Hang, de erguer uma réplica da Estátua da Liberdade — símbolo da marca — na capital maranhense. No texto de divulgação, os organizadores acusam Hang de não respeitar a democracia e os direitos humanos.

“Nada contra emprego e renda. Nada contra o livre mercado, desde que exercido por quem respeita os direitos sociais e trabalhistas. Por quem respeita a liberdade de expressão, a democracia, os direitos humanos. Não é o caso do personagem caricato, aventureiro, por trás da Estátua da Liberdade”, diz o manifesto da petição do movimento, intitulado “Aqui Não”, e que acumula, até agora, 2.800 assinaturas.

Além disso, a petição alega que uma réplica de 35 metros da Estátua da Liberdade em São Luís não é compatível com a cultura e arquitetura da cidade, que é considerada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Os organizadores cobram o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) por uma reação contra o monumento de Luciano Hang.

“Alguém consegue imaginar uma Estátua da Liberdade em Olinda, Ouro Preto ou Diamantina? Não dá. A exemplo de São Luís, são cidades tombadas pela Unesco como Patrimônio da Humanidade. Em qualquer um desses sítios urbanos, instituições como o Iphan reagiriam com rigor”, escrevem os organizadores, que afirmam que a Estátua da Liberdade da Havan insulta a história da cidade.

Nem todas as lojas da Havan tem o monumento na frente. A petição questiona a quem interessa a instalação da réplica na cidade e pede a “resistência do povo de São Luís”. O prefeito Eduardo Braide, que foi apoiado por Bolsonaro em 2020, ainda não comentou sobre as manifestações contrárias à construção do símbolo da Havan.

Na última semana, o senador bolsonarista Roberto Rocha, sem partido, também foi alvo de críticas por querer erguer uma Estátua da Liberdade na cidade de Nova Iorque, no sul do estado. A Havan não está abrindo uma loja no município onde vivem cerca de 5 mil pessoas, mas Rocha afirmou que pediu ajuda de Luciano Hang para a construção do monumento.

“Estou tentando conseguir uma doação do empresário Luciano Hang, das lojas Havan, aproveitando a oportunidade de ele estar construindo grandes lojas no Maranhão”, escreveu o senador em uma rede social, dizendo também que está sofrendo ataques de “comunistas do Maranhão” pelo pedido a Hang.

Via Metropole

Leia outras notícias em FolhadoMaranhao.com. Siga a Folha do Maranhão no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva em nossos canais, do Telegram e do Youtube. Envie informações e denúncias através do nosso e-mail e WhatsApp (98) 98136-0599.

Comentários

Publicidade

Você poderá fazer comentários logado em seu facebook logo após a matéria.