Skip to content

Sigiloso: CPI da Covid pede levantamento de Willer Tomaz à Receita Federal; sócio de Weverton Rocha

Um requerimento sigiloso enviado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) à Receita Federal, pede um levantamento de todos os dados cadastrais, inclusive com participações societárias do advogado Willer Tomaz de Souza, aliado do senador Weverton Rocha (PDT). Além de Willer Tomaz, o requerimento pede informações de José Carlos da Silva Paludeto e também advogado, Frederick Wassef.

A informação foi divulgada pela Revista Veja desta semana.

A intenção do requerimento protocolado pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL) com o apoio do presidente da Comissão, Omar Aziz (PSD-AM) é achar pistas que liguem o Willer Tomaz e os demais nomes ao senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ). Porém, a resposta da Receita Federal à CPI da Covid-19, pode revelar outras ligações com o surgimento do nome de Weverton Rocha.

Willer Tomaz é muito próximo do senador Weverton Rocha, no qual é padrinho de um dos filhos de Tomaz. O advogado que já foi alvo de preso pela Polícia Federal em uma das operações da Lava Jato, também sócio no arrendamento do Sistema Difusora, em São Luís, juntamente com o senador Weverton Rocha.

Outra reportagem da Veja afirma que, Willer Tomaz possui lista de relacionamentos que inclui juízes, desembargadores e até ministros de tribunais superiores.

A resposta da Receita Federal à CPI da Covid deve esclarecer muitas coisas, principalmente a relação empresarial entre Willer Tomaz e Weverton Rocha. Devido ao requerimento está sob sigiloso, o site do Senado não disponibiliza tal informação. Com isso, possivelmente a resposta deste documento não virá à tona.

Veja o Requerimento divulgado pela Revista Veja,

Requerimento Sigiloso: CPI da Covid pede levantamento de Willer Tomaz à Receita Federal; sócio de Weverton Rocha

Leia outras notícias em FolhadoMaranhao.com. Siga a Folha do Maranhão no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva em nossos canais, do Telegram e do Youtube. Envie informações e denúncias através do nosso e-mail e WhatsApp (98) 98136-0599.

Comentários

Publicidade

Você poderá fazer comentários logado em seu facebook logo após a matéria.