Skip to content

Dois membros do PCdoB e um do PTB viram alvos de operação da PF no MA

Pelo menos três membros de partido políticos foram alvo da “Operação Andadromiki”, realizada hoje, 01, pela Polícia Federal no Maranhão. Os alvos são das cidades Esperantinópolis, Governador Nunes Freire e Maranhãozinho.

Em Esperantinópolis, A polícia Federal fez busca a apreensão na casa do ex-prefeito do município, Rogerio Bezerra de Almeida, Dr. Rogerio que faz parte do Partido Comunista do Brasil (PCdoB). Dr. Rogerio disputou a o cargo de prefeito nas últimas eleições, onde não obteve êxito ficando em segundo lugar.

Em Governador Nunes Freire, o alvo foi o vereador Felipe Silva de Alencar, Felipão da Vila como é conhecido. Felipão faz parte do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e foi eleito a vereador nas eleições de 2020.

Em Maranhãozinho, o alvo da Polícia Federal foi o ex-candidato a prefeitura do município nas eleições de 2016, Irismar do Nascimento Oliveira, Iris como é conhecido, também é membro do Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

Em coletiva realizada pela instituição, os delegados que coordenam as investigações afirmaram que o advogado, ex-prefeito de Esperantinópolis, Dr. Rogerio, estaria foragido. Ao que tudo indica, ele seria o principal alvo da operação.

Nas investigação conduzida pela Polícia Federal no Maranhão, com a colaboração da Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT) da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, iniciada no ano de 2020, levou à identificação de um esquema criminoso integrado por dois servidores do INSS, advogado e outros agentes operacionais.

Mediante a confecção de documentos ideologicamente falsos, o grupo criminoso inseria informações nos sistemas da autarquia previdenciária, objetivando a concessão, principalmente, de benefícios da espécie pensão por morte, com pagamentos retroativos, causando vultoso dano aos cofres públicos.

Com relação aos dois servidores da autarquia previdenciária, além dos mandados de prisão temporária, também foi determinado o afastamento das funções públicas.

O prejuízo inicialmente identificado com a concessão dos benefícios, aproxima-se de R$ 5,9 milhões. A economia proporcionada com a futura suspensão dos benefícios, considerando-se a expectativa de sobrevida projetada pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), gira em torno de R$ 18,4 milhões.

Leia outras notícias em FolhadoMaranhao.com. Siga a Folha do Maranhão no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva em nossos canais, do Telegram e do Youtube. Envie informações e denúncias através do nosso e-mail e WhatsApp (98) 98136-0599.

Comentários

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.