Skip to content

Deputado do Maranhão quer lacres em embalagens de lanches delivery

O deputado estadual Dr, Yglésio (Pros), apresentou um projeto de lei na Assembleia Legislativa que prevê a obrigação de lanchonetes e estabelecimentos que comercializam alimentos na modalidade de entrega, a utilização de lacres invioláveis em suas embalagens.

De acordo com o artigo 2 do projeto apresentado, o selo de segurança ou lacre de proteção serve para impedir a entrega de alimentos e, ou, bebidas violadas e a possível contaminação por pessoas que não participam do processo de produção do alimento. O selo de segurança ou lacre de proteção deve conter a informação de que, se estiver violado, o produto não deve ser consumido pelo consumidor.

O projeto de lei impõe multa no valor de R$ 1,50 por embalagem não lacrada e, em caso de reincidência, a multa é majorada para R$ 3,00 por embalagem não lacrada, bem como o infrator está sujeito a revogação do alvará de funcionamento e proibição de renovação até que haja demonstração de cumprimento ao disposto nesta Lei.

Segundo a justificativa do deputado, o projeto de lei tem como objetivo garantir maior segurança aos consumidores que façam uso de serviços de entrega para consumo imediato, garantindo que ao receberem as embalagens de alimentos encontrarão o produto em consonância com a expedição de origem do estabelecimento sem risco de alteração durante o trajeto de entrega.

Ainda de acordo com o deputado, a entregas de lanches chamada delivery, tem sido importante alternativa para evitar aglomerações durante o período de pandemia em restaurantes e supermercados. Devido a esse aumento, é necessário a garantia de qualidade desses alimentos fornecidos a população.

O projeto de lei foi apresentado no final do mês passado e ainda está em tramitação na Assembleia Legislativa, caso seja aprovado, a lei entra em vigor a partir 60 dias depois de sancionada.

Veja a íntegra do projeto de lei aqui

Leia outras notícias em FolhadoMaranhao.com. Siga a Folha do Maranhão no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva em nossos canais, do Telegram e do Youtube. Envie informações e denúncias através do nosso e-mail e WhatsApp (98) 98136-0599.

Comentários

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.