Skip to content

Flávio Dino tenta tranquilizar o Maranhão à beira de uma nova crise de saúde

Apesar de alguns números positivos que o vem Maranhão apontando, todos nos sabemos que o estado está prestes a enfrentar mais uma dura crise no sistema de saúde, seja ele público ou privado.

Diferentes de outros líderes estaduais, o governador Flavio Dino (PCdoB), vem tentando passar uma tranquilidade à população do Maranhão. Apesar de confirmar uma pressão sobre o sistema de saúde, Flavío Dino afirma que ainda não é o momento de impor novas medidas no estado.

Por outro lado, ele vem fazendo mudanças no sistema de saúde, configurou novos leitos, fez os direcionamentos de especialidades para alguns hospitais e as famosas tendas nas portas da UPAs voltaram a ser instaladas.

Recentemente, dois secretários de sua gestão já tinham se antecipados e anunciado algumas mudanças no dia-a-dia da população. O secretário de saúde, Carlos Lula, chegou a afirmar que qualquer tipo de evento seria proibido no estado, voltando atrás logo após o governo sofrer grande desgaste perante à população e o próprio governo.

O secretário de indústria e comércio também foi contrariado por Flávio Dino. Após ser escalado para dialogar com representantes das categorias e autoridades sobre as novas medidas que o governo poderia anunciar, Simplício Araújo chegou a afirmar que no início desta semana, o Maranhão iria impor novas medidas para tentar conter o coronavírus, o que não confirmado por Flávio Dino, deixando o secretario sem palavras.

Vale lembrar, que Manaus, a cidade que mais vem sofrendo com a Covid-19 no Brasil, demorou a implantar medidas para conter o avanço vírus, e quando implantou a população não aceitou. Quase uma semana depois a segunda onda apareceu e muito maior que a primeira, causa um colapso no sistema de saúde do estado do Amazonas mais uma vez.

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT) e o governador do Pará, Hélder Barbalho (MDB) já implantaram medida extremas em seus estados após essa ameaça de nova crise da saúde. Wellington Dias chegou a pedir à Flávio Dino para que o mesmo adote a lei seca no estado, além de impor endurecimento de regras a população.

Mesmo tudo demonstrando contra, Flávio Dino está com discurso apaziguador, o que pode prejudicar o desempenho do estado em uma eventual segunda onda do Covid-19, podendo transformar a capital do Maranhão, São Luís em uma nova Manaus, afinal estamos dando os mesmos passos para isso.

Leia outras notícias em FolhadoMaranhao.com. Siga a Folha do Maranhão no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva em nossos canais, do Telegram e do Youtube. Envie informações e denúncias através do nosso e-mail e WhatsApp (98) 98136-0599.

Comentários

Publicidade

2 Comentários

  1. Américo Araujo Américo Araujo

    Acho que antes de criticar e cobrar do MS o Governador Flávio Dino deve tomar as medidas discutidas com a sociedade, é melhor prevenir que remediar, acho que as manifestações das eleições contribuíram para esse agravo. Agora vem Carnaval e bumba-boi, fique alerta governador, uma vida vale mais que muitos carnavais e bumba-bois, Com a vacina poderemos em breve voltar ao normal com segurança.

  2. Ana Amélia Figueiredo Santos Ana Amélia Figueiredo Santos

    Ele está sendo alertado,mais é cabeça dura.
    Vamos ver quem vence Fd ou corona

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.