Skip to content

Ação do MA que pede aplicação de vacinas sem aval da Anvisa será julgada por Lewandowski

O Estado do Maranhão através da Procuradoria Geral do Estado, entrou com uma ação solicitando uma tutela provisória de urgência para que possa elaborar e implantar um plano de imunização contra a Covid-19 por meio dos seus próprios órgãos sanitários.

Na ação ajuizada contra a União, o estado pede também que lhe sejam assegurados recursos financeiros suficientes para a compra de vacinas e insumos ou a compensação financeira a partir de créditos que os cofres estaduais têm com o governo federal.

Na ação, o governo estadual argumenta que o governo federal não tem demonstrado capacidade de implementar um plano nacional de vacinação em massa e que o que há de concreto é apenas um “frágil esboço” do Plano Nacional de Imunização, apresentado em reunião no Ministério da Saúde em 1º/12.

Ainda segundo o estado, o governo federal concentrou seus esforços apenas na vacina produzida pela Astrazeneca/Universidade de Oxford, “que ainda não concluiu todos os estudos”, ignorando a possibilidade de aquisição de outras vacinas disponíveis globalmente, como a produzida pelo laboratório Pfizer e a Coronavac, para a qual já há um acordo de produção em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo (SP).

O pedido do governo do Maranhão foi protocolado no último dia 9, e será julgada pelo ministro Ricardo Lewandowski.

Caso tenha aval do STF, Flávio Dino poderá fazer não só a aquisição de vacinas já autorizadas por outros órgãos sanitários no mundo, como elabora o seu próprio plano de aplicação das mesmas.

Por outro lado, o governo federal já deixou claro que a vacina a ser usada no Brasil será usada a farmacêutica Pfizer. Segundo Pazuello, em janeiro já começa ser aplicada as primeiras doses da vacina no país.

Leia outras notícias em FolhadoMaranhao.com. Siga a Folha do Maranhão no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva em nossos canais, do Telegram e do Youtube. Envie informações e denúncias através do nosso e-mail e WhatsApp (98) 98136-0599.

Comentários

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.