Skip to content

A pedido de Flávio Dino, Duarte Júnior pode assumir a MOB

Ao que tudo indica, Duarte Júnior poderá deixar de ser deputado para ocupar o cargo de secretário no governo Flávio Dino. A possibilidade foi cogitada, após uma reunião entre o deputado e governador.

Segundo informações, Flávio Dino estaria tentando uma reaproximação como deputados, após várias divergências durante a corrida eleitoral em São Luís.

Flávio Dino teria feito ao convite a Duarte Júnior para que ele retornasse ao seu governo, evitando assim, um desgaste maior na Assembleia.

A maioria dos deputados estaduais não gostam do comportamento e as atitudes do ex-diretor do Procon, Duarte Júnior. Que por muitas das vezes entrou em confronto com os deputados da casa. Isso estaria pesando no convite feito por Flávio Dino.

Se Duarte Júnior realmente for para Agência de Mobilidade Urbana – MOB, ele terá um desafio duplo.

O primeiro deles é manter o seu eleitorado conquistado nas ultimas eleições, onde ele tirou mais de 200 mil votos. O outro desafio seria melhorar a imagem do governo perante a população, principalmente em São Luís, onde a MOB arrasta uma obra interminável na região do Araçagy, região da grande ilha de São Luís.

Vamos aguardar para o que o deputado vai decidir

Leia outras notícias em FolhadoMaranhao.com. Siga a Folha do Maranhão no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva em nossos canais, do Telegram e do Youtube. Envie informações e denúncias através do nosso e-mail e WhatsApp (98) 98136-0599.

2 Comentários

  1. cidadenua cidadenua

    Eitaaa aí é que Duarte vai acabar de se queimar…Como Deputado ele pode virar o jogo e pleitear Brasília, como Federal. Já na Mob, vai cair no esquecimento!

  2. Rodrigo Rodrigo

    Duarte Jr chora até hoje pela derrota. Se ficar na assembleia a possibilidade de expor o governo será ainda maior. Yglesio já mostrou isso nos seus discurso. A base do palácio está estremecida. Como consolo e estratégia Dino propõe uma secretária. 02 derrotas no mesmo pleito mostra a fragilidade comunista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *