Skip to content

Prefeita de Cajari pode ser alvo de operação da Polícia Federal

Blog Antônio Martins

Uma operação que reunirá representantes da Polícia Federal, Ministério Público Federal e Controladoria Geral da União deverá ter como alvo, ainda esta semana, o município de Cajari, na Baixada Maranhense.

O objetivo, de acordo com informações exclusivas obtidas pelo Blog, é cumprir mandados de busca e apreensão e mandados de prisão que irão subsidiar uma investigação acerca de recursos públicos federais que, ao que tudo indica, foram desviados pela gestão da atual prefeita, Camyla Jansen Pereira.

A operação, segundo as informações obtidas, também deverá atingir o marido da gestora, Walteir Pereira, que é major da Polícia Militar e está à disposição da Vice-Governadoria, e o empresário Gleidiston Rodrigues Torres, sócio proprietário da Atrius Construções.

A investigação mira em pelo menos seis contratos firmados pela gestão de Camyla com a Atrius Construções.

São obras nas áreas da educação, desporto e infraestrutura, iniciadas nos anos de 2017 e 2018, que, juntas, somam mais de R$ 5,7 milhões – a PF, inclusive, já tem informações sobre o destino final deste dinheiro.

Todas estão paralisadas, apesar da Prefeitura ter recebido recursos da União por meio de convênios.

Em 2017, por exemplo, a prefeita recebeu mais de R$ 1,8 milhão do Governo Federal para construir uma Creche Municipal Tipo 1 na sede da cidade.

A obra deveria ter sido concluída no mesmo ano. No entanto, o que se constata atualmente são escombros que estão servindo para abrigar marginais.

A prefeita também recebeu, via convênio, mais de R$ 1,7 milhão para construção de estradas vicinais no povoado Boa Esperança dos Oliveiras.

A ação nunca saiu do papel.

Aditivadas – O que também causa espécie, e despertou a atenção da PF, CGU e MPF, é a quantidade de vezes que os contratos firmados com a Atrius foram aditivados pela Prefeitura.

A obra inacabada da Creche Municipal, por exemplo, foi aditivada sete vezes.

O contrato para construção de estradas vicinais, por sua vez, foram aditivados quatro vezes.

Uma obra para construção do Mercado Municipal, no valor de mais de R$ 474 mil, já foi aditivada duas vezes.

Já um contrato para construção de uma de Quadra Poliesportiva no povoado Gameleira, orçado em mais de R$ 498 mil, recebeu quatro aditivações.

Uma obra, orçada em mais de R$ 538 mil, para construção de um Campo de Futebol no município foi aditivada quatro vezes.

Mesma quantidade de aditivações referentes à implantação de melhorias sanitárias no povoado Enseada Grande, cujo valor da obra foi de mais de R$ 697 mil.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *