Skip to content

No Maranhão, senador Roberto Rocha se aproxima do PCdoB de Flávio Dino

Imagine um político sem ideologia, sem norte, sem rumo, sem qualquer coerência política… pois é, pensou? se você lembrou do senador Roberto Rocha – presidente do PSDB no Maranhão – acertou na mosca!

Em mais um gesto político inexplicável, Rocha quebrou seu próprio discurso de combate ao comunismo no Maranhão e declarou apoio ao PCdoB dentro da Ilha de São Luís, para ser mais preciso, na cidade de Paço do Lumiar.

O senador que dia e noite critica o partido do governador Flávio Dino e que compara os comunistas a satanás, juntou os braços da prefeita Paula da Pindoba, do PCdoB, junto com o do seu correligionário Inaldo Pereira e o indicou vice na chapa comunista.

Para esconder a declaração de apoio, o senador sequer publicou nas suas redes sociais o encontro. Coube a prefeita Paula usar o seu Instragram para tornar o acordo político público.

Paula Pindoba, candidata do PCdoB ao lado do líder do PSDB no Maranha, o senador Roberto Rocha

Com esse ato, além de quebrar o próprio discurso de combate ao PCdoB, Roberto Rocha agora trai a si próprio e os seus conceitos, pois, é ele o maior combatente do comunismo maranhense.

No dia 05 de junho deste ano, por exemplo, Roberto Rocha reforçou uma declaração do presidente Jair Bolsonaro durante uma visita a um hospital de campanha em Brasília, onde afirmou que “tem muita esperança que o Maranhão abandone o comunismo”.

Já no dia 16 de junho, ao criticar o PCdoB, Rocha disse que “comunistas são todos iguais”.

Mudar da “água para o vinho” e quebrar discurso é algo típico de Roberto. Isso não é novidade para o senador, aliás, ele carrega consigo a insígnia da traição impregnada na sua trajetória política.

– Histórico

Em 2014, Roberto Rocha filiado ao PSB foi eleito Senador da República graças ao apoio do governador Flávio Dino, sem o comunista não haveria nenhuma possibilidade do ex-socialista ter saído das urnas à frente do ex-sarneysista e emedebista Gastão Veira, seu principal concorrente à época.

Já eleito e, ambicioso que é, Rocha – que enxerga longe na política – tratou de criar animosidade com o governador e romper apenas um ano após o primeiro governo de Flávio Dino. A estratégia na ruptura com o governador era a eleição municipal que se aproximava, pois, queria a todo custo eleger o filho vice-prefeito de São Luís.

Após o rompimento oficializado com Dino, Rocha conseguiu emplacar Júnior na chapa de Wellington do Curso, então filiado ao PP, em 2016. Entretanto, as urnas deram a devida a resposta à traição do senador e recusaram o seu filho como vice-prefeito da capital.

Depois que saiu do PSB e filiou no PSDB, no ano de 2017, Roberto Rocha convenceu o deputado estadual Wellington do Curso a ingressar no ninho tucano. O parlamentar, então, aceitou sob a condição que caso reeleito para a Assembleia Legislativa, seria novamente candidato a prefeito de São Luís. Roberto, então, aceitou a condição de Wellington e o acordo foi firmado.

Acontece que Roberto assim como traiu Dino, também traiu Wellington, pois, pretende novamente emplacar o filho como vice-prefeito, desta vez, de Eduardo Braide (Podemos) nestas eleições de 2020. Embora tenha dito que Wellington seria candidato pelo PSDB, Rocha não cumpriu com a palavra.

Esse é o senador Roberto Rocha!!!

Domingos Costa

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *