Skip to content

Flávio Dino silencia diante do calote levado na compra de respiradores

O governador Flávio Dino preferiu manter o silencio diante do calote sofrido nas compras de respiradores através do Consorcio de Estados do Nordeste.

A gestão de Flávio Dino desembolsou o valor de R$ R$ 9.324.275,80 na compra de 30 respiradores que de fato nunca chegaram. O Maranhão pagou esse valor de maneira antecipada, antes mesmo de o contrato ser assinado pelo consorcio. As transferências da Secretária e Estado da Saúde do Maranhão – SES, foram feitas da seguinte forma.

Dados do Portal de Transparência do Estado do Maranhão, mostram que no dia 6 de abril, o governo fez a primeira transferência no valor de R$ 4.947.535,80. Em seguida, fez a segunda transferência no dia 4 de maio, o valor foi de R$ 4.731.840. Totalizando a quantia de R$ 9.324.275,80.

Sendo assim, cada respirador saiu pelo preço de R$ 310.809,18, valor muito acima do preço de mercado, que geralmente fica abaixo dos R$ 100 mil.

Após operação da Policia Civil da Bahia, ficou definitivamente comprovado o calote que estados da Região Nordeste levaram na aquisição desses respiradores. Mesmo diante da operação, os valores investidos por cada um dos estados, até o momento não foram recuperados.

As duas empresas envolvidas na transação, ainda não deram o parecer de quando vão entregar os respiradores ou devolverem o dinheiro.

Mesmo diante da exposição do caso nacionalmente, o governador do Maranhão não tocou no assunto. Flávio Dino parece ter ignorado o destino dos R$ 9,3 milhões que saíram dos cofres públicos do estado.

Segundo Tribunal de Justiça da Bahia, por terem foro privilegiado, o processo de investigação e julgamento contra os 9 governadores na compra dos respiradores subiu para o Superior Tribunal de Justiça – STJ.

Um comentário

  1. João filho João filho

    Cilencio ele vai ficar quando a polícia federal fazer uma visitinha pra ele as cinco horas da manhã, onde já se viu pagar pela uma compra, com dinheiro público sem assinar um contrato e sem receber a mercadoria, só no Maranhão acontece uma parada dessa isso é muito suspeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *