Skip to content

Maranhão registra 376 mortes no trânsito nos primeiros meses deste ano

De acordo com o relatório estáticos da seguradora líder, nos três primeiros meses do ano, o Maranhão é quarto estado da região nordeste com o maior números de mortes no trânsito, com 376 mortes, ficando atrás de Bahia, Ceará e Pernambuco. Este número representa, cerca de 12,32% das mortes no nordeste e 4,04% das mortes no Brasil.

Ainda de acordo com dados da seguradora, responsável pelo seguro de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre – DPVAT, o Maranhão ficou em terceiro lugar da Região Nordeste de solicitações do seguro por invalidez permanentes, com 3.107 pedidos.

Por outro lado, o Maranhão é um dos últimos estados da Região Nordeste com pedidos de reembolso por despesas médicas, em 7º colocado, com 245 pedidos.

Na questão de indenizações, o Maranhão recebeu 3.728 que já foram pagas.

No Brasil, A motocicleta foi a categoria de veículo com o maior número de indenizações pagas nos três primeiros meses de 2020. Apesar de representar apenas 29% da frota, concentrou 79% das indenizações.

Das indenizações pagas no período para acidentes com motocicletas, 71% foram por invalidez permanente e 7% por morte. Das indenizações por morte em acidentes com motocicletas, 87% foram para vítimas do sexo masculino.

 Para os casos de vítimas com sequelas permanentes, 79% também foram para vítimas do sexo masculino, enquanto as indenizações por acidentes com os demais tipos de veículos, pagas também para os homens, representaram 64%. Os números demostram que a concentração de vítimas do sexo masculino é maior nos acidentes com motocicletas do que com os demais veículos.

As vítimas de acidentes com motocicletas são, em sua maioria, pessoas em idade economicamente ativa. No período citado, as vítimas entre 25 e 44 anos concentraram 50% dos acidentes fatais e 51% dos acidentes com sequelas permanentes. No período analisado, foram pagas aproximadamente 25 mil indenizações por invalidez permanente às vítimas nesta faixa etária, envolvendo o uso de motocicletas.

Veja o relatório completo aqui

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *